terça-feira, 9 de janeiro de 2018

2018


- Arrumar um emprego (em paralelo fazer um curso de produção audiovisual);
- Encontrar algo que eu sinta que goste de fazer;
- Finalizar o mestrado;
- Cuidar do corpo e da mente;
CORPO: (praticar exercícios três vezes por semana, manter uma alimentação saudável, voltar p o yoga, equilibrar o uso de substâncias, cuidar da pele)
MENTE: iniciar o reiki, meditação mais frequente, ler mais (separar uma lista de livros), voltar a estudar francês e outros assuntos (separar sites)
Coisas do cotidiano:
Agradecer mais, fazer mais coisas pelos outros, presentear mais as pessoas (não precisa ser com coisas materiais um simples gesto vale), ligar mais para meus pais, manter contato com as pessoas que gosto, desapegar mais do mundo virtual, me auto-analisar mais.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

se apaixonar é...
descreva aqui qualquer sentimento que tenha destruído sua mente durante o período de mais intenso borboletear no estômago
descreva toda a angústia pela espera por algo que nunca veio
a ficção tão bem narrada em sua mente
os pensamentos mais sujos e prazerosos
os olhares que refletem a luz do dia
os rios de lágrimas
a pieguices das palavras
tanto as escritas
quanto as proferidas
e
por final
o vício que continuamos a prolongar.


a paixão faz a gente voltar para o lugar mais obscuro da nossa mente
como para esse bloguezinho
caótico
cheio de sensações atordoadas
sem sentido
como é a nossa mente
cheia de inseguranças
sem sentido

aqui despontam todas as inseguranças
anseios
e
desejos

jogo

um jogo resumido em não saber quando vai acontecer de novo, amanhã, depois, daqui um mês, ano que vem, nunca mais.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

sentimentos sem palavras

qual palavra define
anseio de alegria e companhia
afetado
por profunda letargia
?

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

A hundred times I wished to kill myself, but my love of life persisted. This ridiculous weakness is perhaps one of the most fatal of our faults. For what could be more stupid than to go on carrying a burden that we always long to lay down? To loathe, and yet cling to, existence? In short, to cherish the serpent that devours us, until it has eaten out hearts? (Candide - Voltaire)